Impressão definitiva nos Polietilenos usados na Rotomoldagem

Close-Up-INMOULD

Os polietilenos representam cerca de 90% dos materiais consumidos na Rotomoldagem. Esta dominância se deve às muitas vantagens que apresenta. Entretanto, estes materiais possuem também algumas limitações, entre elas a baixa aderência da sua superfície. A razão básica para este comportamento é a sua baixa tensão superficial e por isso alguns recursos, tais como oxidação por ácido crômico, permanganato de potássio e outros reagentes, exposição a plasmas e a descargas corona, flambagem ou foto-oxidação têm sido usados para melhorar a aderência até certo ponto.

Nenhuma dessas soluções garante que a impressão tenha durabilidade compatível com a vida útil que normalmente se espera dos produtos rotomoldados, que durante sua utilização estão sujeitos à abrasão e aplicação de produtos de limpeza variados, o que causa a sua remoção da superfície da peça. Se forem usados solventes, como thinner, as tintas convencionais podem ser removidas rapidamente, como mostrado na imagem abaixo:

Solvente

Além da importância de divulgar a marca e as formas de contato com a empresa de forma indelével nos produtos, muitas vezes a manutenção de inscrições nas peças é uma questão de segurança, como nas instruções de uso. A aplicação de adesivos é uma solução com durabilidade bastante limitada (além de também poderem ser removidos intencionalmente). A imagem abaixo mostra a aparência dos adesivos depois de algum tempo de uso:

Adesivos

Outra forma de transmitir informações nas peças é através do uso de relevos. Esta é uma opção bastante econômica e indelével, mas é muito pouco atrativa, o que faz com que cumpra apenas parcialmente as funções de divulgação e orientação de uso, como mostra o exemplo abaixo:

Relevo

Para resolver esta limitação dos produtos rotomoldados, existem tintas especificamente desenvolvidas para a Rotomoldagem que permitem alcançar impressões definitivas e destacadas. Estas tintas especiais possuem base compatível com o polietileno e passam a fazer parte integrante da superfície das peças após um ciclo térmico. A aplicação pode ser realizada de diversas maneiras, como será mostrado a seguir:

1. Momento da aplicação: As tintas podem ser aplicadas antes ou depois do processo:

1.a – Aplicadas ao molde (antes do processo): Neste caso, exemplificado na imagem a seguir, o próprio ciclo de Rotomoldagem proporciona o ciclo térmico suficiente para promover a fusão entre a peça e a tinta. O polietileno se funde sobre a tinta, que é removida juntamente com a peça.

In

 

1.b – Aplicadas às peças (após o processo): Quando se deseja realizar a impressão aos produtos já acabados, é necessário aplicar calor para fixar a tinta após a pintura, como mostra a imagem abaixo:

On

O aquecimento pode ser feito com fogo ou ar quente e a recomendação usual é que se alcance a temperatura mínima de 120oC na superfície da peça para garantir a aderência. Esta temperatura pode ser monitorada com equipamento de medição, mas em geral a prática permite a percepção deste ponto através da obtenção de brilho na superfície da peça, que é um indicador de que a temperatura necessária foi alcançada. Para evitar o surgimento de manchas nas peças devido à aplicação da chama, pode-se proteger a região com uma “máscara” metálica que permita a aplicação da chama apenas na região desejada.

2. Precisão: De acordo com a precisão que se deseja obter, pode-se usar diferentes métodos para realizar a impressão:

2.a – Aplicação de tinta “à mão livre”: Pode-se aplicar a tinta diretamente sobre o molde ou sobre a peça usando-se pistola de pintura aerossol ou até mesmo rolos e pincéis. Existem duas situações em que este método pode ser usado: quando se deseja fazer impressões bastante simples ou aleatórias, com o objetivo de apenas identificar o produto, ainda que de maneira grosseira. Também pode ser usado, de maneira oposta, para realizar impressões com alto apelo estético, através de aplicação artística da tinta, como mostra a imagem a seguir:

Livre

2.b – Aplicação da tinta usando-se matrizes reutilizáveis: Pode-se conseguir um grau razoável de precisão através do uso de matrizes plásticas (tipo estêncil) para a aplicação da tinta. A reutilização da matriz faz com que esta opção seja também bastante econômica.

Estencil

2.c – Aplicação da tinta usando-se matrizes descartáveis: Um grau maior de precisão em relação ao método anterior pode ser alcançado através do uso de matrizes descartáveis, que são adesivos cortados na forma desejada e colados ao molde (ou à peça). Desta forma, a matriz copia qualquer imperfeição ou deformação da superfície e assim a aplicação da tinta ganha em precisão. Estes adesivos recortados podem ser produzidos por gráficas. As imagens abaixo mostram um exemplo de aplicação:

Adesivo

2.d – Aplicação da tinta na forma de gráficos pré-impressos: Esta é a maneira mais sofisticada de impressão definitiva em peças rotomoldadas. Os gráficos são fabricados de acordo com uma arte desenvolvida pelo cliente e são recebidos prontos para serem transferidos para o molde (ou para a peça) através de ferramentas específicas. Podem ser usadas várias cores e efeitos gráficos como retículas e transições de cor. Imagens desse tipo de aplicação e o resultado final são mostradas abaixo:

Grafico

Exemplos de aplicações de gráficos pré-impressos são mostrados abaixo:

Graficos

 

Qualquer que seja a necessidade, a C6 Rotomoldagem possui soluções para a impressão definitiva e que destacam as marcas e produtos rotomoldados.

1 responder

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *